O Padrão-ouro – Dinheiro versus moeda-corrente

RSS
Facebook
Facebook
Google+
Google+
http://granagrana.com/o-padrao-ouro-dinheiro-versus-moeda-corrente/
Youtube
Youtube
Pinterest
Pinterest
LinkedIn
Flipboard magazine

 

O nascimento do Sistema Bancário

O conceito do Sistema Bancário originou-se na Babilônia cerca de 3000 aC devido às atividades de templos e palácios que forneceram lugares seguros para o armazenamento de objetos de valor.

Por volta do século XVI, uma nova forma de dinheiro apareceu. Em vez de tomar a forma de moedas de ouro ou prata, o novo dinheiro era um recibo; composto por promessas escritas em pedaços de papel que certificavam que existia uma soma correspondente em ouro em um lugar protegido, a oficina dos ourives.

Os banqueiros da época eram os ourives, eles tinham as instalações e os equipamentos necessários para trabalhar com metais preciosos. Assim se iniciaram na prática de armazenar o ouro de outras pessoas e emitir recibos, um serviço pelo qual os ourives passaram a cobrar uma taxa; o fundamento do nosso sistema bancário moderno.

O Padrão-Ouro

O Padrão-Ouro é um sistema monetário no qual a unidade econômica padrão é uma quantidade determinada de ouro.
Sob este tipo de sistema, o dinheiro é “endossado por ouro”, ou seja, pode ser livremente convertido em ouro a um preço fixo.

Isto significa que a quantidade de dinheiro que um governo poderia emitir estava limitada à quantidade de reservas de ouro aue este país possuia.

Após a extinção do padrão-ouro, os governos puderam emitir tanto dinheiro quanto o desejado, já que, para isto, não era necessário ter ouro suficiente para endossá-lo. O dinheiro tornou-se uma Moeda-corrente, e há uma enorme diferença entre dinheiro e moeda corrente.

Moeda Fiduciária (Fiat money)

Entra em cena a Moeda Fiduciária (Fiat money). Este termo se refere ao dinheiro que não é endoçado por reservas de outra mercadoria valiosa.

O termo deriva da palavra latina fiat, que significa “faça-se”, devido ao dinheiro poder ser criado por decreto governamental. Quando a moeda fiduciária (o dinheiro que é intrinsecamente inútil, é usado apenas como um meio de troca) é utilizado, o termo moeda fiduciária se aplica. Hoje, a maioria das moedas nacionais são moedas fiduciárias, incluindo o dólar dos EUA, o Euro e todas as outras moedas de reserva ( confira a cotação atualizada das principas moedas fiduciárias em Cotações das principais moedas ), e tem sido assim desde as medidas econômicas de Nixon em 1971.

Robert Kiyosaki, no livro Pai rico, Pai pobre conta sua experiência no Vietnã com a valorização do ouro e sua impressões pessoais das mudanças que ocorreram pela revogação do padrão-ouro nos Estados Unidos em 1971.
 

 
Clique abaixo para a próxima página do artigo…

RSS
Facebook
Facebook
Google+
Google+
http://granagrana.com/o-padrao-ouro-dinheiro-versus-moeda-corrente/
Youtube
Youtube
Pinterest
Pinterest
LinkedIn
Flipboard magazine

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *